sustentabilidade ilustraçãoO conceito de desenvolvimento sustentável foi criado na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento no relatório conhecido como “Nosso Futuro Comum” no século XX. O objetivo era alinhar preservação do meio ambiente com desenvolvimento econômico. Esse conceito foi introduzido na Agenda 21, um documento de 40 capítulos criado na Conferência Rio 92 e anexado as agendas internacionais para a promoção do desenvolvimento sustentável.

O desenvolvimento sustentável é um modelo socio-econômico e ambiental que está diretamente relacionado com o crescimento da economia de uma forma que garanta a inclusão social e a proteção do meio ambiente, de modo que as necessidades da geração atual possam ser supridas sem que seja comprometidas as gerações futuras.

Para que esse desenvolvimento exista é preciso que haja uma mudança de consciência: entender que recursos naturais são limitados e que é preciso haver planejamento.

O desenvolvimento baseado apenas no consumo de energia e recursos naturais é errado, pois esses recursos podem acabar. No desenvolvimento sustentável deve ser priorizado a qualidade daquilo que irá ser feito respeitando as matérias-primas do ambiente e realizando o processo de reciclagem, quando necessário.

As principais conferências sobre meio ambiente realizadas para o desenvolvimento sustentável foram:

  • Conferência de Estocolmo (1972);
  • Conferência no Brasil (Eco 92, 1992);
  • Conferência em Kyoto (1997);
  • Conferência de Haia (2000);
  • Conferência em Bonn (2001);
  • Conferência de Copenhague (2009);
  • Conferência em Cancun (2010);
  • Rio +20.

Nas discussões voltadas para o tema sempre são ressaltados assuntos como mudanças de hábitos no consumo, economia, etc. Fazendo o uso de uma economia verde, ou seja, utilizar os recursos naturais de uma forma racional e equilibrada emitindo poucas quantidades de gases poluentes para a atmosfera e conservando o meio ambiente. Com isso, são utilizadas novas tecnologias que contribuam com esse conceito: trocas de aparelhos eletrodomésticos que consomem muita energia, substituição das matrizes energéticas por fontes renováveis como a energia solar, eólica, etc., consumo de água de uma maneira responsável.

Sem essas mudanças nos hábitos de consumo, as mudanças climáticas irão aumentar. As nações que mais sofrerão as consequencias serão a dos países pobres, por não terem recursos para se adaptar. No ano 2000, a ONU criou as oito maneiras de mudar o mundo com meta de alcance até 2015:

1.Combater a fome e a miséria;

2.Garantir que todos tenham uma educação de qualidade;

3.Garantir a igualdade entre os sexos e valorizar a mulher;

4.Diminuir a mortalidade de crianças;

5.Garantir melhor saúde as gestantes;

6.Lutar contra a AIDS, a Malária e outras doenças;

7.Melhorar a qualidade de vida e o respeito ao meio ambiente;

8.Garantir que todos contribuam com o desenvolvimento.

As principais iniciativas brasileiras em prol do desenvolvimento sustentável são produzidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) através do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST).