Estufa PlantasSe observarmos bem, as temperaturas do planeta estão desreguladas. Há locais mais frios e outros tão quentes que chegam a atrapalhar o convívio. E por que isso acontece? Um fenômeno natural que existe na Terra é responsável por manter a temperatura, o efeito estufa. Este efeito permite que os humanos habitem no planeta, caso contrário a temperatura seria bem fria: 18º abaixo de zero.

Todo ano é lançado grandes quantidades de CO² e outros gases na atmosfera e com isso, o processo se intensifica gerando um aumento da temperatura do planeta. A maior parte das catástrofes que ocorrem no mundo acontecem devido ao excesso de gases presentes na atmosfera. Mesmo ganhando uma característica negativa por agravar o aquecimento global, ele tem uma importante função, assim como cada processo que faz parte de nós e do Planeta Terra.

As consequências da intensificação do efeito estufa para o homem representam riscos para a sobrevivência da espécie. Estamos lutando para sobreviver, mas a natureza é tão ágil que nos ataca como um leão.

O que é Efeito Estufa?

O efeito estufa é uma forma que a Terra tem para manter sua temperatura em aproximadamente 30ºC. Naturalmente, ela se autorregula permitindo que as espécies se beneficiem com o clima. Toda a radiação, proveniente do sol é absorvida, irá reter parte da entrada dos gases e consequentemente manterá a temperatura constante.

Por que o Efeito Estufa é Importante?

Há uma função importante quanto ao funcionamento do efeito estufa, se ele não regulasse a temperatura terrestre não poderíamos existir, porque nenhum ser humano aguentaria. Nós nos adaptamos ao ambiente, porém nem os mais fortes sobreviveriam. Percebemos esta importância quando comparamos a Terra e a Lua. A lua é inabitável, e como não há efeito estufa as temperaturas variam entre 100º C a - 150º C. Já a Terra possui extremos de aproximadamente - 10º C e 50º C.

Muitos questionam se é importante que o efeito estufa regule e mantenha um clima ameno, então, porque afirmar que ele pode ser um precursor para as consequências do aquecimento global? Ele é responsável por desempenhar dois papéis.

Greenhouse ou Efeito Estufa de Plantas

Em países de clima frio é comum o uso de estufas no cultivo de determinadas plantas, os cientistas utilizam o termo em inglês "Greenhouse” (Efeito Estufa de Plantas) para explicar o efeito.

Semelhante ao que ocorre com uma estufa, os raios solares que atravessam os vidros aquecem seu interior. Parte do calor é retido e a outra retorna para o espaço. Da mesma forma acontece com um veículo exposto ao sol com os vidros fechados.

A atmosfera do planeta terra funcionará como a grande estufa que contém pequenas quantidades de gases responsáveis pela mesma função dos vidros. Estes são os chamados gases-estufa (vapor d' água, dióxido de carbono, metano, óxido nitroso, entre outros) que contribuem para a retenção do calor. Com eles, a luz solar atravessa as camadas e estas impedem que parte do calor formado na superfície do planeta saia. 

Em contrapartida, se lembrarmos dos filmes clássicos da pré-história veremos que no início, a Terra era quente, formada por vulcões, e estas condições fizeram o planeta inverter a ordem natural das coisas. Ao invés de reter calor, a atmosfera procurava se defender com as eras glaciais, porém, isto foi só uma teoria proposta por cientistas. Também existe a hipótese de que o planeta tenha se superaquecido fazendo com que os dinossauros e outros seres existentes morressem literalmente de calor.

O que acontece hoje é que o planeta busca se defender do ataque que o ser humano tem gerado no seu próprio meio. É com este efeito que a atmosfera consegue manter o equilíbrio de temperatura. Caso contrário, poderíamos presenciar uma nova era glacial.

Poluição do Ar

Com o aumento dos gases da atmosfera terrestre provocada pelas atividades humanas, surgiram diversos problemas relacionados ao efeito estufa. A atmosfera, que é a camada mais sensível do planeta, tem sido sobrecarregada de quantidades enormes de gases poluentes. Desde a metade do século XIX já se relatava as consequências do que o homem estava causando no ambiente.

Desde a Revolução Industrial, no final do século XVIII, esta concentração de CO² começou a aumentar, com a queima de combustíveis fósseis e até então os níveis só se elevam.

Quando tratamos de modificar as configurações naturais do planeta vemos que tudo irá funcionar a um nível macro, por se tratar de universo. Os cientistas, então, consideram o planeta como um grande laboratório, onde as ligações, os processos são feitos todos em escala global.

O Problema da Emissão de Gases Poluentes na Atmosfera

Parte significativa deste problema provém da liberação de grande quantidade de Dióxido de Carbono (CO²) na atmosfera - originado da queima de combustíveis fósseis, queima e derrubadas de florestas, além das naturais, emitidas pelas erupções vulcânicas e por processos químicos e biológicos nos oceanos e no solo.

Vapores d'Água

Os vapores d'água, também são um dos elementos que influencia nesse processo. Como a temperatura tende a aquecer, ao se juntar com a atmosfera ela se torna ainda mais quente por armazenar uma quantidade maior de vapor. Estes estão presentes nas superfícies do gelo, água, no solo, nos vegetais e animais.

Metano - CH4

O Metano (CH4), sendo mais potente que o dióxido de carbono, mas presente na atmosfera em poucas quantidades, é também responsável pelo aumento do efeito estufa, sendo encontrado em: vazamentos de gás natural, na decomposição de resíduos orgânicos, no processo de digestão de animais, em aterros sanitários, etc. Esse gás possui um potencial de aquecimento de 60 vezes a mais que o CO².

Óxido Nitroso - N2O

Do Óxido Nitroso (N2O), pouco se sabe sobre os seus efeitos, sendo ele proveniente dos solos com a fertilização na agricultura, da combustão, do tratamento de esgoto, de fontes naturais e de processos industriais. Ele é 230 vezes pior do que o metano na atmosfera. Antes um gás bem utilizado era os CFCs (cloroflurcarbonetos) proveniente de aerosóis, freezers, entre outros, tendo sido vetado por acordos internacionais e controlado pelo Protocolo de Montreal, agora, o N2O superou a ação dos CFCs.

Dos principais gases citados vemos que cada componente que existe na atmosfera é capaz de nos favorecer ou nos trazer malefícios. O que ocorrerá com o planeta com o aumento desses gases raros? O equilíbrio térmico da Terra será desajustado. Para que um ambiente, um processo possa funcionar é necessário que hajam equilíbrios entre as partes.

Por todo mundo escutamos notícias de ondas de calor que invadiram países, chuva ácida ou quedas bruscas de temperatura no inverno em lugares que eram quentes, assim como chuvas que trouxeram desastres, ciclones e outros fenômenos. Al Gore, em seu livro 'Uma verdade inconveniente', produzido em 2003, enfatiza a problemática do aquecimento global:

"O que nos coloca em encrenca não é o que não sabemos, é o que sabemos com certeza, mas que não é verdade".

Consequências da Intensificação do Efeito Estufa

O efeito em conjunto com os principais gases intensifica o Aquecimento Global. De acordo com as previsões, as mudanças não só ocorrerão no clima, mas também no aumento do nível das águas do mar. Pessoas que moram nas regiões litorâneas já sentem o impacto de perto. Como a temperatura esquentará, lugares que eram áridos ficarão mais ainda, a fome e a sede começarão a assolar populações que vivem em condições extremas de sobrevivência. As geleiras, o gelo que recobre os topos das montanhas e o gelo que recobre as terras polares começarão a derreter e a água do mar esquentará.

Haverá a formação de ciclones e tornados, tempestades e tsunamis cada vez mais fortes que deixarão cidades submersas. Com certeza estes são fenômenos que assustam as pessoas. De tudo isso nós sabemos: assistimos a filmes, as notícias sobre o assunto são relevantes e apesar de saber das consequências, há ainda, àqueles que questionam essa verdade.

Consequências Intensificação Efeito Estufa

Alguns Desastres Ecológicos Causados Pelo Homem

Desastre em Hiroshyma e Nagasáki

Em 1945, esse desastre matou entre 150 a 200 mil pessoas no Japão, tragédia causada por bombas nucleares. Além de ter deixado o ambiente radioativo, liberou 3 milhões de gases  na atmosfera.

Derramamento de Mercúrio em Minamata

Em 1956, ocorreu o derramamento de mercúrio no oceano por uma fábrica de fertilizantes, a Chisso Corporation matou cerca de 3 mil pessoas contaminando peixes e frutos do mar.

Acidente com Césio-137 em Goiânia

Em 1987, no Brasil, ocorreu o maior acidente radiológico mundial. A curiosidade de dois catadores de lixo fez com que eles achassem um aparelho de radioterapia de um hospital abandonado. Ao desmontarem o aparelho, foram expostos ao Césio-137, e a partir daí, aproximadamente mais 112 mil pessoas tiverem contato com a substância.

Queima de Petróleo no Golfo Pérsico

Em 1991, ocorreu a queima de Petróleo no Golfo Pérsico. Saddam Hussen, obrigado a deixar o país que havia invadido, ordenou que destruíssem 700 poços de petróleo que foram lançados ao mar ou queimados. Pessoas morreram de problemas de respiração.

Acidente em Chernobyl

Na Ucrânia, em 1986, um acidente em Chernobyl causado por um experimento no reator 4 da usina provocou uma explosão e matou cerca de 10 mil pessoas e enviou aproximadamente 50 milhões de gases para a atmosfera, tornando as áreas de floresta um deserto que eles chamavam de estéril.

Depois de anos, apesar da radiação, a biodiversidade no local evoluiu, apesar das pessoas e da fauna terem sido atingidas por doenças derivadas da radiação.

Naturalmente surgiram plantas, pinheiros com aparência de arbustos e espécies raras ressurgiram. A flora continua crescendo e Chernobyl é a maior reserva natural da Europa. A natureza teve força para se reerguer.

Alguns Desastres Ecológicos da Natureza

A consequência dos desastres causados pelo homem é que muitos desses eventos se tornam frequentes com o aquecimento global, apesar de alguns deles serem provenientes de fenômenos naturais: movimentação em placas tectônicas ou somente deslocamentos e erupções vulcânicas perto ou no fundo do mar. 

Tsunami na Ásia

Ondas gigantes que atingiram as costas leste e sul da Ásia matando mais de 55 mil pessoas.

Furacão Katrina

EUA, 2005. Furacão Katrina destruiu a região litorânea dos Estados Unidos atingindo ventos de até 280 km por hora. Aproximadamente mil mortes foram constatadas além de trazer milhares de prejuízos para os habitantes do local.

Seca na Amazônia

Uma seca atingiu o estado devido ao aquecimento exagerado das águas do Oceano Atlântico. A NASA fez uma declaração que a Floresta Amazônica praticamente não foi afetada pela seca.

Terremoto no Chile

Um terremoto matou aproximadamente 80 pessoas, atingindo a escala de 8.8. Em 1960, o tremor foi de 9.5 causando muitos estragos no país.

O homem entrou num círculo vicioso, algumas de suas necessidades foram demasiadas na busca de melhores condições de vida, a produção de inventos e o uso de máquinas representou um marco na história. Assim como o fenômeno do efeito estufa é de causa/efeito, vemos o planeta também está começando a se manifestar dessa forma.

Redução de Gases Poluentes

Os gases do efeito estufa não podem ser completamente eliminados da atmosfera. Mas é possível reduzí-los! Muitos estudiosos vem apresentando tecnologias que mostram inventos e ideias da atualidade capazes de amenizar os efeitos. Algumas delas são:

Energia Eólica

Utiliza-se a força dos ventos para gerar energia através de um gerador. Há séculos já utilizavam essa energia para movimentar barcos e moinhos. É uma fonte limpa e renovável. A Europa é o país que mais utiliza esse tipo de energia, tendo em 2009, respondido pela capacidade de 62% na geração de eletricidade, estes são dados do relatório Renewable Energy Snapshots de 2010, publicado por uma instituição que cuida dos interesses da União Européia. 

Biocarvão

É uma das soluções para capturar o carbono, consiste na queima de qualquer material orgânico num processo que não utiliza o oxigênio. É uma técnica simples e antiga que faz com que parte do CO² fique retido no solo, aumentando a fertilidade e diminuindo os efeitos do Aquecimento Global.

Energia Solar

Energia proveniente do sol. Utiliza-se painéis solares e sistemas que aquecem casas, empresas e ou piscinas. Esta por ser uma fonte natural não polui o meio ambiente. Apesar de ser pouco utilizada devido ao custo e pelo armazenamento é uma ótima opção para reduzir processos que afetam a atmosfera, como queimar lenha ou combustíveis.

Usinas Domésticas

São micro geradores em residências que atenderiam as necessidades de quatro moradores em uma casa. Este estudo foi realizado em Massachussetts nos EUA, pelo laboratório de Células de Combustível Nuvera. Essas usinas também podem ser comunitárias e responsáveis por abastecer uma vila, fazendas, sítios, agro indústrias, entre outros.

A Força dos Oceanos

Essa energia é obtida através das ondas, marés e correntes. Na França, em 1966, já foi construída a primeira usina maremotriz, mas este tipo de energia ainda encontra-se em fase de teste.

Casas Supereficientes e Ecológicas

São casas ecológicas voltadas para a questão ambiental. São econômicas, exceto alguns sistemas que as tornam caras e cada detalhe na hora de construir é importante. Há também a transformação de imóveis prontos usando sistemas eficientes. Um exemplo de país que utiliza o sistema é a Alemanha, que busca reduzir 90% da emissão de CO² com o investimento nessas casas.

Carros Elétricos

São carros caros de um custo alto que funcionam a base de energia armazenada em baterias, mas quando se tornarem mais eficientes pode ser que os preços reduzam. Sem o uso de gasolina o motor de carro elétrico promete revolucionar o ramo automobilístico.

Captura de Carbono ou Sequestro de Carbono

É a captura e o armazenamento do dióxido de carbono. Este conceito é proveniente na Conferência de Kyoto. O intuito foi minimizar o acúmulo de CO² na atmosfera. Estes são alguns dos esforços do governo para reduzir as emissões de gases do efeito estufa.

O setor de indústrias e de transporte são os que possuem mais atividades que contribuem para a geração de gás carbônico. O CO² é um elemento importante, pois, é um gás que está presente em vários processos do ambiente(como a fotossíntese) e portanto é fundamental para os seres vivos.

Biocombustíveis

O biocombustível é um combustível proveniente da cana de açúcar, do milho, da soja e de outros vegetais. Estes são materiais biológicos que quando em combustão produzem energia. Por exemplo, a cana de açúcar que gera o álcool é menos agressiva ao meio ambiente por um lado, mas por outro, as plantações do produto provocaram problemas com o solo e clima, especialmente no nordeste brasileiro. Esse tipo de energia alternativa causa uma diminuição na produção de petróleo, mas ainda há a dependência do mesmo.

Outro tipo de combustível é o biodiesel, um óleo derivado de algumas plantas e que possui a vantagem de substituir parcialmente os derivados do petróleo, sem modificar os motores. Como ainda há a derrubada de florestas e a possibilidade de afetar a produção de grãos há pessoas que não concordam com o seu uso, contudo nos EUA e em outros países está sendo criado uma nova tecnologia, a hidrólise enzimática, um processo de quebra de celulose para gerar etanol. O uso dos biocombustíveis diminuirá a dependência humana do combustível fóssil (ou seja, do petróleo).

Seja Consciente em Casa

Na hora de gastar somos os primeiros. E na hora de economizar?

Umas das soluções para quem quer aderir ao estilo ecológico de ser, é diminuir as emissões de CO² dentro de casa. A meta que foi instituida para o Brasil, um compromisso voluntário apresentado na COP 15, é de cerca de 36,1% e 38,9% até 2020. Este projeto se transformou na Lei 12.187/09 sancionada por Lula, em 2009, que institui a Política Nacional sobre Mudanças do Clima. Abaixo seguem algumas dicas para ser ecologicamente correto e diminuir uma parcela significativa de CO².

  • Optar pelo uso de meios de transporte público, bicicleta ou caminhada pode reduzir mais de meia tonelada de CO² se você dirige 20.000 km por ano e ainda pode ser convertido em uma atividade física.
  • Use ventilador comum ou ventilador de teto ao invés de ar condicionado que possui uma substância 1300 vezes mais potente que o CO², por causa de seus fluídos que produzem frio a base de hidrocarbonetos.
  • Abastecer veículos com álcool ou biocombustíveis já reduz 500 kg de CO². Observar a manutenção de seu motor, porque motores em péssimas condições podem ingerir 50% a mais de seu combustível e ainda produzir 50% mais CO².
  • Utilize lâmpadas florescentes, além de economizar na conta de luz, você irá reduzir por ano entre 100 kg e 499 kg de CO². Apague as luzes, tire os eletrodomésticos que não estão em uso da tomada, deixe os computadores ligados por menos tempo e no modo de espera quando não estão sendo utilizados, isso reduzirá em 100 kg.
  • Utilize pouco papel, abuse das folhas de rascunho, do papel reciclado, use muito email e recicle papéis e papelões quando já utilizados, mais 100 kg serão reduzidos.

Soluções dos Países para Redução dos Gases

Devido aos problemas relacionados às mudanças climáticas, países criaram estratégias para minimizar os impactos causados pelas atividades humanas. Veja algumas soluções abaixo:

Protocolo de Kyoto

O Protocolo de Kyoto é um tratado que prioriza a redução da utilização de energias que emitem gases poluentes. Estes combustíveis aumentam o crescimento econômico das nações, mas também intensificam o Aquecimento Global.

Conferência de Copenhagen (COP 15)

É a 15ª Conferência das partes que ocorreu no final de 2009 com os grupos de países ricos e países em desenvolvimento, um encontro que define a cada ano sobre questões ambientais e teve por objetivo estabelecer o tratado que poderia vir a substituir o Protocolo de Kyoto. Foram discutidos temas sobre as metas de redução dos gases estufa e mudanças climáticas, mas o resultado da conferência não superou as expectativas.

Com um acordo de mínimos, um texto que não agradou a muitos países porque não determina os objetivos de redução dos gases, se estabeleceu uma contribuição anual US$10 bilhões entre 2010 e 2012 e US$ 100 bilhões a partir de 2020 para que os países mais vulneráveis possam se defender dos efeitos da mudança climática.

Apesar do acordo ser insuficiente, constantemente os países tentam propor outras soluções para diminuir os impactos do aquecimento global. Um exemplo disso foi a Rio +20, uma Conferência da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável.

Países em Ação

Os países do G8 (França, Alemanha, Estados Unidos, Rússia, Japão, Itália, Canadá e Reino Unido) e os países emergentes - G5 composto por Brasil, África do Sul, China, Índia e México formulam estratégias para conter as emissões futuras. Atualmente, o Brasil contribuindo para o agravamento dos gases estufa, quer reduzir 70% do desmatamento até 2017 na Amazônia, como afirma o ex-ministro do meio ambiente Carlos Minc.

Brasil e a Redução de Gases Poluentes

Segundo os dados do G8 Climate Scorecards, em 2009, um estudo produzido pela Allianz e WWF sobre o desempenho climático de alguns países, o Brasil devido ao uso de energia hídrica, com relação a geração elétrica, tem baixa emissão, já o desmatamento no Brasil e a agricultura contribuem significativamente para o aumento do efeito estufa. Sendo as emissões de 58% na agricultura, 14% no setor de transportes, 15% na Indústria, 5% Eletricidade e aquecimento, 4% em Residências e serviços e das perdas energéticas 4%. Apesar dos esforços do governo, essa redução só será possível quando todos os setores alcançarem um equilíbrio com a economia do país.

Para resolver o problema em cada setor, o Brasil desenvolveu planos, projeto e modelos para resolver as questões relacionadas às mudanças climáticas, especialmente àquelas voltadas para a redução do desmatamento. Por exemplo, no transporte fizeram um incentivo fiscal para motores automotivos eficientes e políticas de rotulação para veículos leves. No setor de eletricidade/nuclear promoveram a criação do PROCEL (Programa de Conservação de Eletricidade), a importação de gás natural, aumento de capacidade nuclear, entre outros.

Alemanha e a Redução de Gases Poluentes

Já no grupo dos G8 um dos países que ganhou destaque foi a Alemanha, pois suas emissões caíram. Eles investiram em boas medidas nacionais e fontes renováveis. Sua emissão diminuiu desde 1990. Apesar de ser o país número um nesta classificação de países com grande efeito em suas políticas climáticas.

Os alemães até hoje não se comprometeram em reduzir as metas de emissão até 2050, nem com a estratégia de carbono zero (que ambas diminuiriam 2ºC da temperatura global).

No Greendex, elaborado pela National Geographic Society, uma pesquisa feita com pessoas de 17 países, desenvolvidos e emergentes, que visa medir o consumo e o estilo de vida da população e após isto pontua o país destaque em referências ecológicas. É um medidor que verifica como os países estão se comportando diante das questões ecológicas.

Em 2º lugar neste medidor ficou o Brasil que se destacou pelas casas pequenas e pouco uso do ar-condicionado e do aquecimento. Como nem tudo são flores, no setor alimentício consumimos muita carne, no setor de meios de transporte ficamos como sexto colocado e nos destacamos pelos carros pequenos e motocicletas que poluem menos que os automóveis.

Apesar da questão ambiental não ganhar muito enfoque por alguns brasileiros, muitos ainda manifestam uma preocupação com o ar, as mudanças climáticas e a destruição da fauna, da flora e dos outros sistemas que fazem parte do ambiente. Por isso, as mudanças nos nossos hábitos interfere muito na forma como enxergamos os fatos.

Mitos e Verdades sobre o Efeito Estufa

VacaArroto e Pum de Vaca

O metano é emitido pelos bovinos e outro animais com a sua digestão. O rebanho do Brasil é um dos maiores do mundo. O arroto do boi equivale a 69% dos gases do efeito estufa, de acordo com os dados de Mercedes Bustamente, da Universidade de Brasília (UnB), Roberto Smeraldi, da ONG Amigos da Terra e Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Esse estudo concluiu que metade dos gases do efeito estufa no Brasil vem da pecuária. 

Diminuição do CO² para 350 ppm

No site 350.org, cientistas dizem que se a população se juntar para diminuir as emissões de CO² até alcançar a margem de 350 ppm (partes por milhão), limite máximo de CO² que se deve ter na atmosfera, ficaremos seguros em relação ao aquecimento global. Estamos em 377,41ppm e concluiu-se que estamos acima da média. Pessoas de 170 países se manifestaram no Dia Mundial da Ação Climática, em outubro de 2009. Foi um estímulo para que mais pessoas pudessem se atentar as mudanças que ocorrem no Planeta.

Cocô de Baleia Combate o Aquecimento Global

Inicialmente, cientistas achavam que pelas baleias liberarem CO² no processo respiratório, contribuiria para o aumento de dióxido de carbono. A australiana Trish Lavery, da Escola de Estudos Biológicos da Universidade Flinders, em Adelaide, conduziu um estudo revelando que a baleia cachalote é responsável por remover o carbono equivalente ao de 40 mil carros a cada ano. As fezes da baleia contém alto teor de ferro, que é absorvido pelos fitoplânctons (plantas marinhas), que por sua vez no processo de fotossíntese são responsáveis por retirar o CO² da atmosfera. 

Fumaça de Vulcões Reduzem o Efeito Estufa

De acordo com estudos científicos, devido as erupções vulcânicas na pré-história havia uma quantidade de enxofre na atmosfera, isso fez com que o planeta esfriasse. Com uma possível solução querem lançá-lo na atmosfera para ver se o clima esfria um pouco. A tese foi feita pelo químico holandês Paul Crutzen, professor na Alemanha do MaxPlanck Institute for Chemistry e prêmio Nobel por seus estudos sobre a camada de ozônio.

Ele sugere abafar a atmosfera com enxofre para que a população possa diminuir suas emissões neste período. As partículas de enxofre seriam depositadas através de balões de alta altitude ou lançadas à estratosfera, elas mandariam parte da luz do sol para o espaço. Os cientistas observaram isso com a explosão em 1991 do vulcão Mount Pinatubo, nas Filipinas, 0,5º C foi diminuído um ano depois da erupção.

Pintar os Telhados de Branco

De acordo com estudos no Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, na Califórnia, pintar telhados de branco é uma das medidas que combatem o aquecimento global. Telhados nessa cor refletem até 90% da luz solar, além de tornar a temperatura interna mais amena. Os ambientes dispensam o uso de ar-condicionado, que além de reduzir energia, reduz a emissão de CO². Esta foi uma campanha chamada One Degree Less, criada pelo grupo Green Building Council Brasil com o objetivo de diminuir a temperatura em 1º C.

Mitos do Efeito Estufa

Efeito estufa é a mesma coisa de Aquecimento Global?

Não. O efeito estufa é um fenômeno natural que regula a temperatura do Planeta Terra, já o aquecimento global é o aumento das temperaturas médias anuais.

O efeito estufa irá acabar com o Planeta?

Não. O efeito estufa não irá destruir o planeta, pois é um fenômeno inofensivo quando não há uma emissão demasiada de gases do efeito estufa na atmosfera. Nós é que seremos afetados se as catástrofes continuarem.

O ser humano não pode fazer nada para diminuir as emissões?

Não podemos impedir que os fenômenos aconteçam. Mesmo que parássemos de poluir de um dia para o outro, ainda seríamos afetados, por que o aumento do efeito estufa é um efeito a longo prazo.

Eucalipto seca o solo e contribui para o aumento do efeito estufa?

Ele não seca o solo, somente armazena a água de uma forma diferente que as outras plantas. Assim, permite que a água chegue ao solo rapidamente por ter pouca folhagem. Um hectare de eucalipto é responsável por capturar 10 toneladas de carbono por ano.